Diálogo sobre o Imutável no Sintoma

23/07/2009 21h56

Táki Cordas, em um trabalho que considera a anorexia na história, escrevera: “A forma, o imutável, a essência da doença, o patogenético não respeitariam os séculos, a personalidade ou a cultura colocados no papel do patoplástico, do acessório” (“Santas anoréxicas na história do Ocidente: o caso de Santa Maria Madalena de Pazzi”. Ver. Bras. Psiquiatr. 2002;24(3):157-8).
Jorge Forbes pede-lhe um comentário.

"TC: Há duas maneiras de entender a doença: que ela se modifica com o momento histórico, social, ou que ela conserva sua biologia, ainda que mude a cultura que a envolve. Eu posso estar errado, mas a mim parece o seguinte: a anoréxica de hoje, que diz emagrecer pela aparência do peso, ou pelo Lacroix, é a mesma da Idade Média, de 1300, que também purgava, se amarrava na cama para não comer, mas dizia purificar-se para estar mais próxima do divino. Isto remete à filosofia grega da forma e do conteúdo. A minha impressão é que as doenças psiquiátricas mudam o conteúdo, mas a forma, a característica biológica, é imutável.

JF: Você afirma, então, a existência de um imutável que percorre os séculos, em envelopes de sintomas que tentam expressá-lo?

TC: Sim.

JF: Assim eu penso também. Interessante semelhança entre o que você chama “imutável” e o “real lacaniano” (...) Digo então, para lhe responder, que o analista pode ter vindo ao mundo exatamente para ocupar o local desse imutável, para lembrar não só que os sintomas jamais conseguirão envelopar completamente o imutável, como também os remédios jamais conseguirão envelopar o imutável. Nisso se baseia a eficácia da psicanálise, no que se distingue das psicoterapias: ela sustenta que o imutável, apontado desde a Grécia, continuará imutável. O analista é um objeto posto no mercado para isto, para ser a cada um; para todos poderem encontrar "uma pedra no meio do caminho". Dessa pedra não se cura, se inventam soluções".

(trecho dos debates da quarta sessão do seminário 2004 de Jorge Forbes, “As Exposições Clínicas”).