Essa Velha Canção de Fim de Ano

23/07/2009 20h09

Há quem ache Roberto Carlos Braga sempre igual; reveja. Embora tudo nele seja 'para sempre', seu show de fim de ano "pareça parecido”, são os 'detalhes' que fazem a diferença. Foi assim mais este ano. Na Rede Globo, a televisão que ensina todos os domingos o 'fantástico' de como se comportar e ter uma saúde perfeita, passaporte a uma felicidade com padrão de qualidade, nessa mesma rede, sem fazer alarde, nem cara de médico, nem de cientista, o menino do cachoeiro interpretou o momento: “Me diga amigo meu. Será que tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda? -completando - Há muito me perdi entre mil filosofias”. Moral da 'globalização': ou ficar perdido com Roberto, ou ficar achado na proliferação de livros de auto-ajuda, de economistas de plantão e cientistas de ocasião.

Feliz ano novo, nas curvas dessa estrada!

Jorge Forbes