Nano-psicanálise

03/11/2016 01h30

Por Jorge Forbes

A nanotecnologia é uma das quatro grandes revoluções que nos atinge, junto à biotecnologia, informática e cognitividade. As quatro iniciais dessas mudanças formam a sigla NBIC que será cada vez mais conhecida e discutida. Essas mudanças estão na base das atuais e polêmicas reflexões sobre o transhumanismo. Surge a pergunta: será o homem daqui a trinta anos, ainda um homem como o conhecemos hoje? Quando tiver implantado em seu cérebro a memória do Google; quando sua visão além de ser corrigida for aumentada, para uma visão telescópica; quando a perspectiva de vida for de 150 anos?  Essa é uma questão fundamental à qual não se pode esquivar uma resposta. Adiantamos uma ideia a esse respeito: os avanços científicos não serão capazes de dar sentido ao real que nos constitui; as expressões do humano variarão surpreendentemente, mas não a sua qualidade constitutiva.  

(Trecho do texto “Fazer-se tolo de um real: o que é crer no sinthoma? – nano-psicanálise”)