Não Tive Tempo

22/07/2009 20h31

Jorge Forbes

Não tive tempo: de te ver, de te responder, de concluir a apresentação, de entregar o artigo, de cumprir o prazo, de viajar, de ir ao banco, de consertar a luz. Não tive tempo nem de te explicar que não teria tempo, pois, quando vi, já era, já tinha passado o tempo.

Não tive tempo, me explicaram: estou estressado. (........) Não tive tempo é o que dizemos quando temos que optar. A grande oferta atual nos obriga à opção, a escolhas incessantes, uma vez que uma das principais características do laço social na globalização é a falta de um modelo único com capacidade de hierarquizar as oportunidades. Estresse, nesse contexto, nada mais é que covardia da escolha, pois não há escolha sem risco. Melhor colocado assim, na responsabilidade da pessoa. Estresse deve ser tratado com escolha, ponto.

(trechos do artigo NÃO TIVE TEMPO, publicado na Revista Welcome Congonhas, nº 4, julho de 2007)

Leia o artigo na íntegra, em Escritos/Artigos, deste site.