O Que De Novo?

23/07/2009 20h11

Jorge Forbes

"... Nessa discussão, às vezes nos perguntamos se estamos mesmo diante de algo novo. Entendo que a história do pensamento é a história de fracassos em relação a algo sempre inapreensível. Para um freudiano, traduz-se assim: existe uma essência humana que não progride. A melhor demonstração, o melhor raciocínio, sempre deixará de fora uma possibilidade que pode ser verdadeira mas resta, para nós, indecidível.

Acompanhamos as eternas tentativas de vestir essa coisa que não tem nome, a “pedra no meio do caminho”, do Drummond. Mas é tão perceptível o acerto freudiano... O inapreensível retorna, repete-se, somos afetados por seu constante renascimento, sem podermos capturá-lo.

Nesse momento histórico, temos a felicidade e o desafio de vivermos em uma civilização completamente desbussolada em virtude do inapreensível, com a obrigação decorrente de pensarmos e construirmos os nossos rumos."

(trecho do livro "A Invenção do Futuro: Um debate sobre a pós-modernidade e a hipermodernidade", ed. Manole, p. 35)