Precoce Tipping Point

23/07/2009 21h45

Jorge Forbes

Tippping Point é uma expressão inglesa para descrever um fenômeno social de mudança coletiva de opinião. Um exemplo: o momento no qual os cidadãos nova-iorquinos passaram a acreditar na segurança de sua cidade. É claro que campanhas e medidas práticas contribuíram para isso. Mas o que não se sabe é prever o Tipping Point, o ponto da balança em que a maioria dos pesos vão para o mesmo lado, produzindo um sentimento de verdade coletiva e modificadora.

Pois bem, analisemos o que está acontecendo nesta eleição, em São Paulo. Os jornais de hoje surpreenderam os eleitores com uma inesperada diminuição da distância entre Serra e Marta, a índices resvalando o empate. Há apreensão dos dois lados: de um, ansiosa, de outro, entusiasmada.

Por que essa mudança, se não houve um fato novo? Claro, as explicações são inúmeras. Falo só de uma: o Tipping Point da campanha ocorreu na semana passada. Serra foi “eleito” prefeito de São Paulo, precocemente, antes do pleito. A candidata derrotada chorou. Sua comentada arrogância se transformou em maquiagem borrada. Os eleitores compadecidos, e sentindo-se responsáveis, encontram um meio fácil de reparação: basta, uma semana depois, votarem nela, em honra da divina justiça distributiva. É o avesso do avesso.