Segurança Reacionária

23/07/2009 22h24

Jorge Forbes

Temos um profundo medo do novo. Se alguma coisa estranha ocorre, ou surge um problema, o culpado é sempre o novo. Uma pessoa fica doente, é um vírus novo. Uma equipe perde a partida, foi o novo jogador. A viagem não deu certo pelo novo lugar. A classe está perturbada porque entrou um novo aluno. A mulher está distraída porque pintou um novo homem.

A segurança é reacionária mesmo quando contraria os fatos mais banais. Será mesmo que o velho chazinho da vovó é remédio para tudo?

E vemos imperar ditados do gênero: “em time que está ganhando não se mexe”; “mudar de parceiro é só mudar de defeito”, por aí vai.

Agora o alvo são os jovens que gostam de jogar no computador. Lá vem a turma do peão dizer que fantasia virtual é muito perigosa e pode afastar o jovem da realidade.

Sem dúvida é um problema o excessivo fantasiar. Mas por que responsabilizar o computador? Quem disse que o peão e a bolinha de gude eram melhores ou mais sadios?

O medo do novo e da surpresa pode levar muitos a se refugiarem no conforto das fantasias nostálgicas.