Ser Analista

23/07/2009 22h20

  1. É valer mais quando não se é que quando se é.
  2. É emprestar palavra, corpo e ser para ser feito do que se quiser.
  3. É amar incondicionalmente, sem qualquer reciprocidade, na paixão da ignorância.
  4. É chegar sem ser avisado, no lugar da surpresa ou da assombração.
  5. É passar por esquisito, mal educado, chato, sem poder justificar.
  6. É, trabalhando o bem, vir a ter horror do seu ato.
  7. É poder ser paciente no lugar do Outro.
  8. É não governar, nem educar.
  9. É saber o que faz, quando não sabe o que diz.
  10. É ter saudade sem reivindicar, quando se chega ao fim.

(Excerto do texto de Jorge Forbes de mesmo título, apresentado em 1990 no Colóquio "Psicanálise: Identidade e Diferenças", do Instituto de Estudos Avançados da USP - para ler na seção "Escritos", em "Artigos").